Tarefa difícil, educar os filhos.

 

Oi amorecos, hoje quero compartilhar com vocês um cotidiano que era para ser mega prazeroso, porém nem sempre é!

Vou sempre ao parque com Benício, pois ele não vai a escola e não temos babá. Acho bem importante sair todos os dias com ele, para que se sociabilize com outras crianças e gaste energia.

Como é o normal para uma criança de 3 anos, ele corre, pula, grita, ou seja, não para um minuto. Acho saudável, crianças tem que ser espertas e um pouco peraltas ….rs!

Gosto quando o parque esta cheio de crianças brincando e correndo, é importante este contato, já que ele não vai à escola. O que eu não gosto é de criança mal educada!!!

Ensino à meu filho desde muito cedo 2 palavrinhas, obrigada e por favor. Fui educada desta maneira e funcionou. Mas sei que isto é uma questão muito delicada de abordar, pois somos diferentes e temos costumes diferentes.

Hoje estávamos em um parque e apareceu um garotinho para brincar também, ebaaaa!!! Ops, não foi bem assim ….. O garoto começou a jogar pedras no meu filho. A princípio não falei nada (vontade de voar no garoto, não me faltou).

Além do garoto ser mais velho que o meu, isso se repetiu umas 3 vezes até que eu me levantasse e fosse até eles. A mãe do garoto não se manifestava, e eu ali, afffff!

Benício é sempre muito observador, mas também é “mão pesada”. Fui até as crianças, antes que acontecesse o pior e falei. Vamos parar de jogar pedra, isso não é muito legal e daqui a pouco vai machucar!

O garoto nem aí, fingiu que não era nem com ele. Olhei para a respectiva mãe…..nada!

Pensei, vou chama-lo para irmos embora. Mas depois refleti, não é justo, poxa vida!

Virei as costas e ……búaaaaaaaaaa!

Claro que meu Superman misturado com Batman e com teias de Homem Aranha, deu duas “porradas” no rosto do garoto, seguido de um chute do “Ninjago”.

O que fazer???? Me falem, por favor!

Eu como uma mãe leoa, fiz bem a que não viu nada, já que a brincadeira era essa, entre as mães.

Não sou a favor da violência de maneira nenhuma, nunca, nunca e nunca. Acho que a violência só gera mais violência, mas também, não quero que meu filho seja um saco de pancadas, né?!

Conclusion do passeio, ele ficou triste porque bateu no “amigo”, e fomos embora, com ele falando: – “Mamãe, esse amigo é muito “maquiado”(malcriado), eu não queria usar poderes nele mas ele só me batia com pedra.”

Só acho, que a educação deve vir de casa. Não adianta nada darmos todos os brinquedos da moda, roupas e sapatos caros, melhores escolas, se no momento de educar fechamos os olhos. Penso que isso deve começar desde muito novo, para que se torne um hábito. Comecei o post falando de 2 palavrinhas, que para mim são mágicas e essenciais na vida de qualquer um. Respeito é bom e todos nós gostamos, não é mesmo?

Estas atitudes vejo quase sempre que vamos aos parques por aqui. E com isso cheguei a conclusão que nossas reclamações de que hoje os adolescentes não possuem limitem, vem de uma pequenina criança indefesa, que vai ao parque e não respeita os coleguinhas. Máxima culpa dos pais, claro!!!

Falem o que acharam sobre o meu desabafo.

criancas-brincando-1380915889741_956x500.jpg

Bisou.

Pilar.

 

 

 

 

 

2 comentários sobre “Tarefa difícil, educar os filhos.

  1. Estou totalmente do seu lado se bem que tal circunstância só existia você não tinha outro lado pois a outra mãe não se manifestou!!Crianças são crianças e acabam se entendendo na forma deles!!!

    Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão desativados.